Arquitetura contra a Covid: Análise de ventilação em escolas

15.06.2021

Arquitetura contra o coronavírus

 

Quase metade do ano de 2021 já se foi, e a pandemia do coronavírus insiste em ficar. Nessa situação estranha, em que se misturam sentimentos opostos, muitos de nós já fomos do medo ao cansaço, ao conformismo, ao medo novamente, e assim vamos tocando nossas vidas na esperança de que em breve possamos retornar às coisas que fazíamos, sem as restrições que, creio, ninguém aguenta mais.

 

Por outro lado, pequenos gestos, coisas simples para as quais sequer dávamos atenção, ganharam outra dimensão ao longo deste período.

Em postagem no nosso blog de dezembro do ano passado, destacamos a importância das atividades escolares presenciais, e a necessária atenção para o tema diante dos desafios impostos pela pandemia. Na ocasião, mencionamos o estudo que estava sendo conduzido pelo departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Londrina, com participação da arquiteta Cláudia Donald Pereira, da Otimax. Agora, um artigo publicado expõe os resultados deste estudo, e nos ajuda a compreender melhor como a arquitetura pode contribuir para a maior segurança das atividades escolares enquanto não consolidamos o controle da pandemia.

O artigo, publicado no número 23 da revista Extensão em Foco, da UFPR, demonstra a importância da ventilação natural no combate ao coronavírus em escolas. Abordando duas escolas públicas de Londrina, o estudo analisou a situação da ventilação natural de cada uma delas e estabeleceu protocolos de funcionamento visando maior segurança na ocupação dos espaços.

 

Um item fundamental que se percebe no estudo é a importância da ventilação cruzada nos ambientes: o desempenho da ventilação unilateral é muitas vezes inferior àquele verificado com as aberturas em duas laterais. Dessa forma, o simples gesto de manter abertas as portas e janelas pode representar um aumento significativo na renovação do ar e a consequente redução no risco de contaminação pelo coronavírus.

           

          

          

Ainda segundo o artigo, a tipologia das esquadrias também exerce um papel importante na eficácia da ventilação natural. A atenção a este fator será importante para nortear novos projetos, além de futuras reformas das edificações.

 

A equipe do estudo foi formada ainda pelas professoras Thalita Gorban Ferreira Giglio e Camila Gregório Atem, pelo eng. civil Pedro Henrique Bruder Decker e por alunos participantes do projeto de extensão. O trabalho contou também com a participação da Secretaria Municipal de Educação de Londrina. Além do artigo mencionado, foi elaborado um vídeo educativo, voltado principalmente para as crianças, pais e educadores, que enfatiza a observação à ventilação natural no ambiente escolar.

 

A arquitetura, em especial quando pensada do ponto de vista do conforto ambiental, desempenha um papel fundamental na nossa saúde. Para saber mais, entre em contato conosco pelo nosso WhatsApp ou pelo nosso e-mail.